Regulamento desportivo da secção de pesca em vigor

CLUBE FLAVIENSE DE CAÇA E PESCA DESPORTIVA

 

 

CLUBE FLAVIENSE DE CAÇA E PESCA DESPORTIVA

 

 

 

 

 

 

ÉPOCA 2011

 

 

 

 

REGULAMENTO DESPORTIVO DA SECÇÃO DE PESCA EM VIGOR

 

 

DOCUMENTO APROVADO EM 27 OUTUBRO 2008

 

 

CAPÍTULO I – Provas

 

 

Artº 1º- O CFCPD organizará ao longo da época 2011, as seguintes provas:

 

Inter-sócios:

Campeonato Interno Sénior Masculino - Durante o ano

Abertura – 27 de Fevereiro de 2011.

Aniversário do Clube – 15 de Maio de 2011.

Maratona – 02/03 de Julho de 2011.

Bento Santos – 16 de Outubro de 2011.

São Martinho / Encerramento – 5 de Novembro de 2011.

 

§ único- outras provas que a direcção entenda realizar.

Abertas ao exterior:

VI Meia Maratona FREGUESIA DA MADALENA – 27 de Março de 2011.

PROVA MAVER – 30 E 31 De Julho

 

Artº 2º- As provas: Abertura, Aniversário do Clube; Maratona, Bento Santos e São Martinho / Encerramento serão disputadas numa única categoria (Sénior).

 

Artº 3º- Campeonato Interno.

 

1- Haverá uma única categoria: Sénior Masculino.

 

2- Qualquer outra categoria etária independentemente do sexo poderá disputar a categoria de Sénior Masculino.

 

3-O Campeonato Interno Sénior Masculino terá seis mãos, em locais a definir pela Direcção do C.F.C.P.D.

 

a)      Datas de pesca do Campeonato Interno Sénior Masculino 2011

 

Mãos

Data

1ª mão

13 de Março

2ª mão

3 de Abril

3ª mão

8 de Maio

4ª mão

5 de Junho

5ª mão

17 de Julho

6ª mão

11 de Setembro

 

b) A Zona de Pesca será fixada na sede do clube na Quinta-feira que antecede a prova.

 

c) Até 20 inscritos, num sector.

 

d) De 21 até 40 inscritos, em dois sectores.

 

e) Mais de 40 inscritos, três sectores.

(conta para esta regra as inscrições da 1ª Mão)

 

 

Artº 4º - Orgânica.

 

1-      O controlo do horário das provas será feito através de 5 (Cinco) sinais sonoros; entrada no pesqueiro; engodagem (cinco minutos antes do início); início; aviso do final (cinco minutos antes do final) e final.

 

2-      Os pesqueiros serão marcados sempre que possível, de jusante para montante do rio.

 

3-      Desde a hora de concentração (efectuada no CAFÉ PONTO DE ENCONTRO) dos pescadores até ao início da prova decorrerá um período mínimo de 2 (duas) horas.

 

4-      Durante o Campeonato Interno cada concorrente só poderá beneficiar uma vez de um pesqueiro considerado ponta, excepto se todos os concorrentes já tiverem sido contemplados, procedendo-se a nova distribuição nas mesmas condições (caso falte o elemento da ponta será considerado ponta o semi-ponta).

 

5-      A quando do sorteio para as mãos do Campeonato Interno, a partir da 2ª mão os pescadores a serem primeiramente sorteados são os que tenham obtido a ponta descrita no ponto anterior, sendo os restantes sorteados pela ordem de inscrição.

 

6-      A pesagem será efectuada pelos pescadores que se encontrem nos dois primeiros pesqueiro (obrigatório sob pena de desclassificação) de cada sector (este ponto é extensivo a todas as provas, ou convívios que o clube efectue), o primeiro pesa, o segundo fiscaliza e escritura as fichas de pesagem (mal a prova termine). No caso de motivo justificado caberá aos concorrentes contíguos estas tarefas. Os casos omissos serão resolvidos pela direcção.

 

 

CAPÍTULO II – Inscrições

 

Artº 5º - ·As inscrições para as diversas provas deverão ser efectuados na sede do clube, impreterivelmente até à hora do dia constante nos cartazes, fixados para o efeito.

 

Artº 6º - No Campeonato Interno Sénior Masculino os pescadores terão obrigatoriamente de efectuar o pagamento da sua inscrição a quando da inscrição para a 1ª mão.

 

Artº 7º - O preço para o Campeonato Interno Sénior masculino será de 40 Euros

 

 

CAPÍTULO III – Classificações

 

Artº 8º - A classificação individual de cada categoria em cada mão, será feito pela ordem decrescente do total de pontos obtidos pelo concorrente.

 

a)      O apuramento das classificações será determinado mediante a atribuição de 1 (um) ponto por grama, desprezando as fracções inferiores a 20 (vinte) gramas conforme a balança a utilizar pelo CFCPD.

 

b)      À mesma pontuação corresponderá igual classificação. Em caso de prémio procede-se a sorteio.

Artº 9º - Campeonato Interno Sénior Masculino.

 

1-      A Classificação individual faz-se por sector e pelo maior peso de pescado, sendo atribuído 1 (um) ponto ao primeiro classificado, 2 (dois) ao segundo classificado e assim sucessivamente.

 

2-      Aos pescadores em situação de igualdade de peso no mesmo sector, são atribuídos os pontos equivalentes à média dos lugares que teoricamente iriam ocupar.

Exemplo: Pescador A 1.800 gr. - 8º lugar

Pescador B 1.800 gr. - 9º lugar

.... Pescador C 1.800 gr. - 10º lugar

-------------

27 : 3 pescadores = 9 pontos

Portanto a cada pescador serão atribuídos 9 (nove) pontos.

 

3- Ao pescador com “grade” é atribuída a pontuação equivalente a último do maior sector da primeira mão, esta pontuação mantêm-se fixa ao longo de todo o Campeonato para estes casos. Quando ocorrer mais do que uma “grade”, a pontuação a atribuir a cada pescador resulta da fórmula (n + n1)/2, em que n corresponde ao lugar da primeira grade e n1 ao referido número fixo.

Exemplo: No maior sector da 1ª mão com 15 pescadores, 9 deles fizeram capturas, ocupando os nove primeiros lugares, os restantes (10 a 15) não efectuaram qualquer captura, então teremos: 10 + 15

---------- = 12,5

2

Portanto a cada pescador que não fez capturas, serão atribuídos 12,5 pontos.

 

4-      Aos pescadores com falta justificada são atribuídos os pontos equivalentes ao número de elementos do maior sector da 1ª mão, acrescido de 2 (duas) unidades.

 

5-      Aos pescadores com falta injustificada são atribuídos os pontos equivalentes ao número de elementos do maior sector da 1ª mão, acrescido de 5 (cinco) unidades.

 

6-      Aos pescadores desclassificados no decurso de uma mão são atribuídos os pontos equivalentes ao número de elementos do maior sector da 1ª mão, acrescido de 15 (quinze) unidades.

 

7-      Cada pescador poderá faltar apenas a 1 (uma) mão do Campeonato Interno, se ultrapassar esse número, ficará desclassificado não podendo participar mais no mesmo, nem terá direito a prémio.

 

8-      Se a desclassificação for pelos motivos do nº 7 do presente artº esse pescador fica impossibilitado de se inscrever no ano seguinte, salvo se apresentar uma justificação que no entender na Direcção seja suficientemente válida para que isso não aconteça.

 

9-      Para efeitos da classificação final serão consideradas as seis mãos do campeonato.

 

10-  A classificação final individual será obtida pelo somatório dos lugares obtidos nas mãos, assim às melhores classificações corresponderão as menores somas de pontos.

 

11-  Todos os pescadores que não estejam presentes no sorteio não serão incluídos no mesmo, salvo se alguém garantir que o pescador não faltará á prova. Se o pescador não comparecer a responsabilidade será daquele que fez a afirmação, sendo-lhe atribuída uma falta injustificada independente do seu resultado.

12-  Na concentração pode-se efectuar alterações à prova, estas têm que ser feitas por unanimidade, estando presentes a maioria dos pescadores inscritos.

 

 

CAPÍTULO IV – Desempates (Campeonato Interno Seniores)

 

Artº 10º - Quando houver lugar a desempates, os mesmos far-se-ão do seguinte modo:

 

1-      Pela melhor classificação numa das provas e sucessivas

 

2-      Pelo peso obtido em todas as mãos.

 

3-      Pelo Maior peso numa das provas e sucessivas.

 

4-      Por sorteio.

 

 

CAPÍTULO V – Actuação nas provas

 

Artº 11º - É proibido aos concorrentes, sob pena de desclassificação:

 

1-      Não usar manga.

 

2-      Proibido pescar bolonhesa (só é permitido pescar Francesa e Inglesa com bóia fixa)

 

3-      Pescar, engodar ou mandar engodar os pesqueiros da área da prova, a partir das 19:00 horas do dia anterior.

 

4-      Engodar forte depois de iniciada a prova, mesmo que tenha chegado atrasado. O concorrente atrasado deve procurar a ficha junto do director do CFCPD que foi nomeado júri para a prova.

 

5-      Pescar com chumbada superior ao peso que o flutuador pode suportar. No caso de dúvida qualquer concorrente tem autoridade para exigir a necessária verificação. Em caso de infracção, esta tem de ser comunicada ao júri no final da prova.

 

6-      Meter na manga um peixe que não estava retirado da água antes do sinal sonoro que avisa o final da prova (qualquer dos concorrentes contíguos deverá denunciar a irregularidade de imediato).

 

7-      O uso das plataformas com a intenção de avançar em relação à linha de água.

 

8-      Abandonar o pesqueiro deixando qualquer cana em acção de pesca.

 

9-      Abandonar o pesqueiro, no final da prova, sem que o mesmo fique devidamente limpo.

 

10-  Recusar-se fazer parte do júri quando designado por sorteio.

 

11-  Utilizar canas que ultrapassem as dimensões máximas estipuladas pela FPPD, de acordo com o escalão etário a que pertence, independentemente do escalão em que o pescador se encontra em prova.

 

12-  Utilizar FEROMONAS em virtude de existirem sérias possibilidades de serem produzidas a partir da urina e das fezes dos peixes.

 

 

CAPÍTULO VI – Júri das provas

 

Artº 12º - O júri é constituído por um director do CFCPD previamente nomeado e pelos elementos a quem foi incumbida a pesagem.

 

Artº 13º - Compete ao júri:

 

1-      Permitir por maioria a troca de um elemento, que indicará o seu substituto.

 

2-      Adiar ou alterar o horário da prova, após o acordo por unanimidade dos concorrentes presentes em maioria na hora do sorteio.

 

3-      Suspender a prova quando haja perigo para os concorrentes, se a prova já se encontrar a mais de metade do tempo estipulado, esta será considerada válida para a classificação.

 

4-      Resolver os casos emergentes da actuação nas provas, no local. Se tal não for possível, no dia imediato, na sede do clube.

 

5-      Remeter para o Regulamento Geral de provas da FPPD os casos omissos.

 

Artº 14º - Desclassificação

 

O concorrente desclassificado numa prova fica automaticamente suspenso por um período de dez dias, podendo esse prazo ser dilatado em conformidade com os estatutos do CFCPD. A prorrogação deverá neste caso, ser comunicada por escrito, em carta registada com aviso de recepção, antes de terminados os referidos dez dias, caso contrário é nula.

 

Artº 15º - Geral

 

1-      As áreas onde decorrem provas do CFCPD estão delimitadas, não sendo permitido aos sócios pescar nelas, não sendo concorrentes.

 

2-      O clube declina toda e qualquer responsabilidade pelos acidentes ocorridos antes, durante e depois das provas.

 

3-      A participação dos concorrentes nas provas, obriga ao conhecimento integral deste regulamento.

 

4-      Os casos omissos serão resolvidos pelo Regulamento geral de provas da FPPD, pelo que os concorrentes fazem parte integrante deste, colocando-se o CFCPD na posição de FPPD e os concorrentes na posição de clubes ou praticantes filiados na referida Federação.

 

CAPÍTULO VII – Selecções do CFCPD

 

Artº 16º - A equipa representativa do CFCPD, em qualquer prova (realizada em Chaves), será formada por Pescadores filiados na FPPD contando para este apuramento a seguinte formula:

a) 40% o Campeonato Interno do Ano Anterior

b) 60% as provas realizadas pelo Clube imediatamente a seguir ao final do campeonato interno (contam as provas onde pesque somente um pescador em cada sector)

Para além desta condição acrescenta-se a obrigatoriedade do pescador ter que ser filiado pelo CFCPD na FPPD, a quando da disputa do Campeonato que lhe proporcionou a entrada na Selecção do CFCPD no ano seguinte e ser residente no Concelho de Chaves.

Artº 17º - O Pescador seleccionado terá obrigatoriamente que disputar o Campeonato Interno do ano em que integra a equipa, caso contrário será excluído da mesma.

Artº 18º - À direcção competirá:

 

1-      Convocar os pescadores, que deverão confirmar a presença até aos dez dias anteriores à prova.

 

2-      Analisar com os convocados, as técnicas e tácticas a adoptar nas provas.

 

3-      Nomear um delegado para cada prova, a quem competirá:

 

a)    Representar o CFCPD.

 

b)    Comunicar à restante Direcção as ocorrências de cada prova.

 

Artº 19º - Penalidades

 

Não poderá fazer parte das equipas do clube o pescador que:

 

1-      Não participe no Campeonato Interno na respectiva época.

 

2-      Esteja suspenso nos termos do art.14.

 

3-      Manifeste comportamento anti-desportivo ou desrespeito pelos regulamentos.

 

4-      Manifeste falta de motivação em representar o CFPD (não encarar e não preparar as provas do mesmo modo que o faz quando pesca individualmente).

 

5-      Não seja residente no concelho de Chaves.

 

6-      Seja desclassificado nos termos do 7º ponto do artº9.

 

 

CAPÍTULO VIII – Subsídios

 

Artº 20º - Aos elementos representativos das equipas do CFCPD, serão atribuídos subsídios a definir pela direcção, assim como a todos os pescadores individuais em representação do CFCPD a pescarem em qualquer Divisão Nacional.

Categoria: Pesca